domingo, 21 de dezembro de 2008

Grécia! Mais um evento!

Tenho defendido que estamos a viver um conjunto de eventos que mostram um modelo de desenvolvimento assente em valores que já eram! Os acontecimentos da Grécia (como os que tivemos em França e que prometem voltar!) são mais um evento!

Utilizando números da Visão de 18.Dez.2008:
Grécia tem mais de 22% de desemprego nos jovens com menos de 25 anos! Mais de 1/3 dos estados da UE estão acima dos 18%. Nos estamos abaixo dos 16%.

A emergência da auto-governação!

Num notável artigo de opinião, Miguel Monjardino (Expresso 20.Dez.2008 - 'Guerra e Paz'), mostra como os valores de Capra (ver Pensamento XI) se começam a materializar no dia-a-dia, neste contexto na governação das cidades, na sequência do que Guedes sugeria (Ver Pensamento VIII): "É provavél que alguns Governos europeus tenham dificuldade ou se revelem mesmo incapazes de adoptar e praticar este "parkour" político de uma forma competente. Quando isto acontecer, o mais natural é que as comunidades locais se organizarem para garantir a segurança. Veja-se o caso de Bombaim, que avançou com um plano para criar as suas próprias unidades de segurança e antiterrorismo após os recentes ataques à cidade. (...) Há umas semanas apenas, isto seria pura e simplesmente impensável."

Pensamento XIV

"A Europa tem velhos a mais e novos a menos, os velhos têm medo dos novos e os novos têm medo do futuro."

In 'O Mundo dos Outros', José Cutileiro (Expresso de 20.Dez.2008)

sábado, 20 de dezembro de 2008

Porque faliu a Netcall ?

Gregory Bateson, um importante pensador dos últimos 100 anos, esteve na base do movimento cibernético e da entrada da teoria geral de sistemas no mundo 'soft', desenvolveu um modelo de aprendizagem com 5 tipos base: "System-theoretic model of learning - based on classification of different types of error that need to be corrected through learning". O erro é central na aprendizagem e no modelo de Bateson. Quando, para além dos nossos, temos a oportunidade de aprender com os erros de outros e dai retirar lições, então é maior a sabedoria.

Veio este modelo a coação na sequência da leitura do post de Vitor Magalhães, co-fundador da Netcall, sobre a aprendizagem que ele fez neste processo. É uma leitura obrigatória para quem se aventura nestes domínios de ser empreendedor!

O bootstrap das organizações tem muito que se diga!

Obrigado Vasco!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Bombaim: alguma reflexão...

No Expresso deste fim de semana, 6.Dez, três reflexões exploram algumas fragilidades das nossas sociedades.

Clara Ferreira Alves relembra os atentados de Cabul (14.Jan.2008 - Serena Hotel) e Islamabade (Marriott Hotel) para sublinhar que Bombaim é o resultados destas duas experiências e um aprofundar dos atentados de Nova Iorque, Londres e Madrid. Conclui "O Ocidente vigia e pune. Não muda de estratégia. Não aprende. Algures, os terroristas vão experimentando e medindo a nossa resposta. E conseguem sempre surpreender-nos. A guerra continua."

Miguel Monjardino analisa os atentados, sublinha os seus objectivos e conclui "Bombaim revela assim um grande paradoxo para a NATO. Sem Paquistão não haverá estabilidade no Afeganistão. Sem o Paquistão, a NATO falhará completamente no Afeganistão. O problema é que a NATO não tem uma política para o Paquistão."

Henrique Raposo sublinha as motivações dos atentados e a incapacidade das sociedades democraticas em dar uma resposta. Conclui "Matar terroristas não é uma estratégia. É uma táctica. O Ocidente precisa de uma estratégia menos obcecada com a erradicação do Mal, e mais vocacionada para a interligação entre as democracias atlânticas e as democracias orientais".

Há um fio condutor entre estas três reflexões: estamos em guerra e não estamos a adoptar uma resposta adequada, quer na guerra, quer na política. De alguma forma não estamos a aprender nos diferentes planos. O conhecimento não está a fluir!

Padrão do infinitamente pequeno...



Cada figura/cor é um tipo de particula...

Physicist and surfer Garrett Lisi TED Talk: A beautiful new theory of everything

Cortesia do Paulo Carvalho

Padrão do infinitamente grande...


Cada ponto de luz é uma galáxia!
Astrophysicist, cosmologist and Nobel Prize winner George Smoot TED Talk: The design of the universe

Cortesia do Paulo Carvalho

domingo, 7 de dezembro de 2008

Lee Smolin: How science is like democracy


Cortesia do meu amigo Paulo Carvalho.

sábado, 6 de dezembro de 2008

darwin lança um blog sobre o conceito da digitalização da sociedade

URL: http://digitization-of-society.blogspot.com/

Digitalização da sociedade (Digitization of society). O Processo de construção de uma sociedade que opera sobre base digital: a sua memória e a sua acção são suportadas por uma fundação digital.

A construção do conceito começa agora ;-)
É enacted (ver pensamento XII)

sábado, 29 de novembro de 2008

Sinto-me Indiano!

Foi assim com Nova Iorque, com Madrid, ...
Foi assim com Bombaim!
Não consigo perceber! Tenho dificuldade em me colocar no lugar do outro!

Nestes momentos só tenho uma certeza: Não é este o mundo que quero!
Quero um mundo com novas cores!
E cada vez tenho mais força e determinação para combinar as cores e começar a pintar!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Com Bárbara Coutinho - "Lugares de Silêncio"

Exposição Colectiva com Fotografia de Cláudio Garrudo, Helena Gonçalves e Jaime Vasconcelos
De 25/11 até 13/12 de 2008

A qualidade da exposição já seria motivo suficiente, ainda por cima é de uma amiga! Parabéns Ana.

domingo, 23 de novembro de 2008

Novo conceito 'cunhado' em Portugal: ODE!

ODE - Organizational Design and Engineering
(EDO - Engenharia e Desenho Organizacional)

"... Organizational Design and Engineering (ODE) which is defined as the application of social science and computer science research and practice to the study and implementation of new organizational designs, including the integrated structuring, modelling, development and deployment of systems and people. In this definition design is distinguished from engineering in the following way: design defines, recommends or uncovers the interactions between organizational actors (human and non‐human) while engineering improves, streamlines, monitors or changes the nature of such interactions. The key of the definition is the word “integrated”, meaning that the “D” and “E” will always move in tandem within the same project."

O centro de investigação é o CODE.
A conferência a IWODE - a primeira será em Dez.2009 - vejam e divulguem o CfP.
A publicação o IJODE.

Que a boa nova se espalhe!

----
Nota pessoal: Tenho o orgulho e a honra de pertencer a este centro e de ter, contribuido com algo para este processo.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Sinto-me Americano!

Estranha sensação esta manhã: sinto-me Americado! é a segunda vez nesta década: a primeira em 11 de Set (9/11); a segunda hoje. As razões são diferentes! Mas a ideia de fundo é a mesma: a força da liberdade!

Uma confição: também votei Obama!
Uma declaração: gostei muito do McCain - era um grande candidato!

Gosto da palavra e da ideia de mudança!Sou romantico (estou a descobrir!) e gosto da ideia do preto e do branco, um presidente a outra uma casa! Gosto da tolerância e do respeito pelo outro!
Pelo pragmatismo! Pelas políticas externas!

Por ter conseguido inscrever a palavra esperança no imaginário do Mundo!

O Presidente Obama tem feito com que eu me lembre muitas vezes dos valores de Capra: conservation, cooperation, quality e partnership! (ver pensamento XI).

Espero que ele consiga defender os interesses do EUA com eles valores como pano de fundo! Será uma grande exemplo e uma grande mudança para todos nós!

Para os meus amigos do Sporting...

Parabéns! Também fiquei muito contente.
Gosto do brilho das vitórias lusas, independete do que nos separa internamente!

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Lição de Economia [joke]

Se tivesses comprado, há um ano atrás, 1.000 Euros em acções da Nortel Networks, um dos gigantes das telecomunicações, hoje terias 59 Euros.

Se tivesses comprado, há um ano atrás, 1.000 Euros em acções da Lucent Technologies, outro gigante das telecomunicações, hoje terias 79 Euros.

Agora, se, há um ano atrás, tivesses comprado 1.000 Euros de Super-Bock (em cerveja, não em acções), tivesses bebido tudo e vendido as garrafas vazias, hoje terias 80 Euros.

Conclusão: No cenário económico actual, perdes menos dinheiro se ficares sentado a beber Super-Bock o dia inteiro.

(cortesia do meu amigo Paulo Reis)

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Tempos Modernos

Importa perceber o tempo em que vivemos. A diversidade de opiniões é fundamental para o debate.

Em http://www.ver.pt/conteudos/ver_mais_Geral.aspx?docID=665 podem encontar a análise do Prof. César das Neves .

(cortesia da minha amiga Joana)

Trikas e Comp.ª

Temos um projecto os dois. No nosso projecto somos um, mas só podemos fazer um projecto porque somos dois.

O dela está em http://trikasecomp.blogspot.com/

Joana Oom

Amiga de alguns anos. Mulher inteligente e determinada.
Engenheira Informática pelo IST (o que mais poderia ser ;-), fez voluntariado em África, fez engenharia, consultoria, ... passou por empresa como a Novabase e a BCG.
Espírito inrequieto, está por detrás do conceito da inovação social (http://www.tese.org.pt/pt/tese/projectos/incubao-e-inovao-social). Só agora começou!

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

A propósito...

Nos tempos que correm, lembrei-me de um conceito que o Prof. Rodrigo Magalhães* me indicou:

Karma Capital
http://www.karmacap.com/

(*) Prof. Rodrigo Magalhães é o meu co-orientador do PhD; para quem quem quiser saber mais recomendo http://kmol.online.pt/entrevistas/2005/01/01/rodrigo-magalhaes.

Em

sábado, 11 de outubro de 2008

O liberalismo em evolução.

Nos últimos 50 anos assistimos a uma mudança de fundo nas nossas sociedades. A revolução francesa trouxe novos valores para as sociedades ocidentais e colocou o Homem no centro, mas um Homem colectivo, numa sociedade planeada. Um homem sem livre arbítrio! O Homem social não escolhe a escola do filho, o hospital ou centro de saúde que frequenta! Tudo isso é planeado centralmente por um 'sábio' planeador!

Os acontecimentos 'financeiros' presentes, a economia/ dependência do petróleo, o aquecimento global, a crise do ozono, ... são apenas eventos de um padrão/ tendência de fundo que mostra que o modelo do planeador central está esgotado! Chegou ao fim!

Capra fala da emergência de valores: conservation, cooperation, quality e partnership em vez de expansion, competition, quantity e domination.

É o resultado da digitalização das sociedades, um processo em curso, em que a base de operação da sociedade é digital. Este processo está a revolucionar o mundo e a fazer emergir novos valores. A 'revolução' é profunda e de impacto igual ou superior a da revolução francesa.
A crise financeira presente é apenas mais um evento desta transformação.

A emergência dos novos valores surge sobre a internet que liga cada indivíduo, independente da sua localização, cultura, credo, ... - é a emergência da internet dos valores! num quadro da revolução da complexidade.

O liberalismo está mais vivo do que nunca! E o Homem ganha o direito da escolha, num quadro de novos valores!

Sou liberal

E acredito na democracia e no capitalismo.
Foram estes sistemas que criaram a prosperidade para o maior número de Homens livres que há memória.
São perfeitos ? Não!
C. Darwin explica!

Nota: faz 150 anos que C. Darwin publicou o seu trabalho. A Gulbenkian assinala a data com um programa dedicado.

Programa "Nascimento de um País"

Este programa visa criar um bom começo para TODA a vida humana que nasca em Portugal.

É programa holístico que deve envolver toda a sociedade, desde os serviços sociais, saúde, empresas e sociedade civil que permita:
- Garantir que todos os bebés ficam em casa até fazerem 1 ano de idade
- Garantir que todos os bebés tem cuidado de mãe nesse primeiro ano de vida (licença de maternidade/ paternidade de 1 ano)
- Garantir que as famílias tem informação correcta e adequada para o primeiro ano de vida e seguintes com acompanhamento pediatrico
- Garantir que todos os bebés tem condições materiais mínimas para um bom desenvolvimento
- Garantir que todos os bebés tem creche adequada a partir de 1 ano de idade, iniciando a sua entrada no sistema de ensino

Pensamento XIII

"The world is inseparable from the subject, but from a subject which is nothing but a project of the world, and the subject is inseparable from the world, but from a world which the subject itself projects."

De "Phenomenology of Perception", Merleau-Ponty
Citado em "The Embodied Mind", F. Varela, et al

Pensamento XII

"By paying attention over and over again to the details of our embodied situation, awareness of what happens becomes more and more spontaneous."

In "The Embodied Mind", F. Varela et al

Medo, fome, insegurança, ...

A 6 de Abril do corrente manifestava a minha preocupação sobre mudanças que vinham a acontecer nos preços que afectam a parte da sociedade com menos meios e condições. Os últimos 6 meses vieram mostrar as razões da preocupação.

Com o mesmo dinheiro (menos, dada a inflação), com a forte subida dos bens essenciais emerge a fome. O desemprego no horizonte e as notícias da crise financeira geram o medo. Fome e medo geram desespero... os assaltos são consequência. Temos a insegurança, que por sua vez gera medo, ... e o ciclo fecha-se!

No Verão, a falta de notícias colocou o crime e os assaltos nos jornais. Parece que acabaram! Dos jornais é verdade! Da vida real! E começa a ser comum já termos sido alvo de ou conhecermos alguém próximo que foi!

É uma tendência de fundo alavancada nas alterações de fundo que o mundo vem assistindo pelo menos nos últimos 20 anos.
E o problema é que as alterações de fundo são lentas e difíceis de detectar, como ilustra o pensamento IX.

Pensamento XI

"If we now look at our Western industrial culture, we see that we have overemphasized the self-assertive and neglected the integrative tendecies. This is apparent both in our thinking ans in our values, and it is very instructive to put these opposite tendencies side by side.

* Thinking (self-assertive/ Integrative)
rational/ intuitive
analysis/ synthesis
reductioist/ holistic
linear/ nonlinear

* Values (self-assertive/ Integrative)
expansion/ conservation
competition/ cooperation
quantity/ quality
domination/ partnership"

In "The Web Of Life", Fritjof Capra

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Estou grávido! Novamente!

Eu e a Cristina estamos a dar continuidade ao nosso sonho: estamos novamente grávidos!
Depois do nosso Afonso - o primeiro - ter nascido em Maio de 2006, o nosso segundo - o Dinis - nascerá em Janeiro de 2009.
O Afonso já sabe e está a adorar a ideia! Faz festas, mostra os brinquedos e as histórias, ... o nome foi ele que o escolheu a partir de uma história que gosta muito 'corvo Xaraz e o seu amigo Dinis'.

domingo, 3 de agosto de 2008

PR fala ao País ?

O que terá levado o PR a interpretar o estatuto dos Açores como uma ameaça ao País a ponto de marcar uma posição de fundo sobre a República e o seu regime ?

Algo me diz que esta comunicação ao País não tinha como primeiro interloctor a R.A. dos Açores e pouco terá a ver com os poderes do PR.
Tenho para comigo que talvez tenha sido dirigida em primeiro lugar a R.A. da Madeira e não pelo que já se sabe, mas sobre tudo para o que não se sabe.

Dois sintomas:
- No contexto internacional vivemos um tempo das pequenas comunidades, da preservação dos valores locais; quanto mais acelera a globalização, mais tendência as comunidades têm de marcar a sua identidade - por toda a Europa se observam movimentos destes, desde Bélgica, Suiça, Holanda, Reino Unido, Espanha, Balcães, ...

- No contexto nacional, temos assistido a um ressuscitar de ideias antigas e refundadoras do regime que vão desde a regionalização e ao maior aprofundamento da autonomia regional (muitos dizem, a caminho da independência); os ventos que sopram de Espanha e os resultados alcançados podem levar muitos a fazer comparações simplistas,...

Talvez se venha a perceber mais depressa do que se possa pensar... isto claro, se a comunicação ao País não tiver cumprido o seu papel!

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Pensamento X

"Temos de começar por ser exigentes e rigorosos connosco."


in Discurso do 10.Junho.2008 do PRP, Prof. Anibal Cavaco Silva

terça-feira, 10 de junho de 2008

Ando sem paciência...

Pois é... ando sem paciência... algo deprimido.
É verdade que com muita solicitação: darwin + safira + phd + pessoal + emocões + ... mas desencantado... estou a ter vários encontros de 3º grau ao mesmo tempo... a aprendizagem é grande - veremos se o Homem também!
Um dia destes falarei aqui destas coisas: vão da amizade aos tribunais, de Portugal ao Mundo, da Casa a empresa, da Justiça as Emoções, ... muitas já cá estão em alguns posts.
Não me apetece falar do Manuel Alegre, da Manuela Ferreira Leite, do José Socrátes!
Fiquei contente com os 2-0 a Turquia... mas não como antes! A alegria do futebol é cada vez menor a medida que a tristeza e desilusão com o país e com as suas pessoas aumenta - a culpa é minha: quem me manda criar ilusões ?
Mas para ser sincero, a verdadeira razão não está fora, está dentro! É a frustação dos sonhos que se perderam. É a desilução de ser atacado por quem esperamos que nos defenda! Acho que estou de luto.
Ando cansado! E sem paciência...

domingo, 4 de maio de 2008

É oficial!

Já devem ter reparado numa tendência de fundo: os preços das 'materias primas' sobem; o pior é que não descem, i.e., a tendência é para se manterem em alta. Desde o petróleo ao trigo. E não é tudo: sobe a água, a electricidade, a propriedade...

Já é oficial, o planeta TERRA é escasso!

Urge olhar para novas políticas globais:
a) Optimizar e conciliar a vida com o planeta que temos
b) Descobrir o mar
c) Descobrir o espaço

É aqui que devemos (Portugal) encontrar o nosso espaço (próximas gerações)!

sábado, 19 de abril de 2008

Nevoeiro II

Pedi emprestado o título do poema do Fernando Pessoa para me referir ao PSD... a medida que a semana foi passando, o poema surgiu-me como metáfora.

Dei comigo a pensar da razão do meu voto no PSD nos últimos anos e tenho que confessar que é apenas um reflexo! Há muito que as ideias já não me liguam a esta corrente; e ultimamente, a prática, definitivamente não!

Tenho para comigo que está é uma grande oportunidade para um debate de fundo, sobre ideias, sobre Política. O PSD não deveria perder a oportunidade.

Como ?
Simples. Eleições a entrada do Verão, para haver um razoável período de debate (o tempo para debater). Candidatos de todas as tendências, em particular os da elite (os actores do debate). As ideias, os valores e as causas para uma nova geração de políticas públicas (o conteúdo do debate).

Nevoeiro

Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
Define com perfil e ser
Este fulgor baço da terra
Que é Portugal a entristecer -
Brilho sem luz e sem arder,
Como o que o fogo-fátuo encerra.

Ninguém sabe que coisa quer.
Ninguém conhece que alma tem,
Nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ânsia distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro...

In Mensagem
Fernando Pessoa

domingo, 6 de abril de 2008

Ando preocupado...

Os cereais a subir... em geral os bens de primeira necessidade.
O petróleo idem.
O subprime...
A coisa não me cheira bem.

Já repararam que quem ganha 1 SMN por mês compra hoje quase metade do leite e do pão que comprava a 1 ano ?

Em Portugal deveremos estar a falar de quase 3 M de pessoas!

Sabemos que, quando há fome, as pessoas matam para comer.

Ando preocupado...

Pooorto!

domingo, 16 de março de 2008

Porque os sindicatos devem estar preocupados...

Os sindicatos tem andado muito contentes com a contestação ao Governo nas ruas e com os números... acham que é uma grande oportunidade para se mostrarem e dizerem que estão vivos.

Tenho para comigo que é exactamente ao contrário. A malta está a vir para a rua pois está a ver que os sindicatos já não as representam! Já não tem credibilidade! A sua mensagem é a mesma há quase um século!

As pessoas começam a achar que se não forem elas a defender os seus interesses ninguém o fará e muito menos os sindicatos.

Se eu estivesse no lugar dos sindicatos estava muito preocupado, MESMO muito preocupado!

Visto pelo lado de Portugal, os sinais podem ser bem mais interessantes:
- a consciência individual existe e está a perceber que quando se junta, a soma é maior que as partes
- evidencia a crise dos meios tradicionais de representação e a necessidade de uma grande reflexão

sábado, 8 de março de 2008

Continuando a discutir Portugal...

Nesta semana, o Expresso (Edição 1845) publicou os restantes 4 textos do movimento "Novo Portugal":

* [Pessoas]
Querendo ter um Portugal novo para poder ser de um ‘Novo Portugal’, Orlando Monteiro, Bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, coordenador do Grupo Pessoas
* Espaço: desafios comuns, Guilherme Almeida, Vereador da Câmara Municipal de Viseu, Coordenador do Grupo Espaço
* Recursos - Melhor antes de mais, Maria João Carioca, Economista e gestora, Coordenadora do Grupo Recursos
* Cultura: o maior bem, Fernanda Maio, Professora da ESAD.CR, Coordenadora do Grupo Cultura

Faço eco de uma outra iniciativa, o Movimento Esperança Portugal (MEP) - http://www.mep.pt/, Rui Marques, que se apresenta como um novo partido da esperança, cavalgando a onda dos Estados Unidos e de Obama - o candidato da esperança. Podem ver a estrevista de hoje na Antena 1 a Maria Flor Pedroso em http://ww1.rtp.pt/multimedia/index.php?prog=1010.

Do MEP, ainda conheço e se vê pouco...
Do "novo Portugal" continuo com a sensação de 'velho' com 'roupa nova' embora tenha apreciado o texto para o grupo "pessoas" e o do "conhecimento".
Aguardemos pelos ecos da discussão e os resultados para uma apreciação mais definitiva, mas diria que, embora as pessoas sejam o centro, os valores e os paradigmas são os mesmos.
É aqui que começamos a divergir.

Continuação de:
http://coisas-do-marco.blogspot.com/2008/03/as-minhas-primeiras-impresses.html

As dores de uma sociedade em mudança...

Num artigo de Março de 2008 da fantástica revista Courrier Internacional (que desde Janeiro de 2008 passou a ser mensal e no formato de revista) intitulado "por que razão o 'big brother' é mau colega de trabalho" apresenta-se um estudo realizado pela LSE para o Conselho de Investigação Económica e Social do Governo Britânico que indica que 52% dos assalariados britânicos estão sujeitos a vigilância informática e tenta analisar as consequência disso.

Num outro artigo, desta feita na edição de Fevereiro de 2008 intitulado "ganhar menos para viver melhor" referindo-se a uma tendência que está a fazer muitos adeptos na Austrália e Nova Zelândia da designada downshifters (simplicidade voluntária) que apresenta um modo de vida que recusa o consumo, menos poluente e que tem uma componente sobre o trabalho, com menos stress e até menos tempo de trabalho, não se importando de ganhar menos para ter mais qualidade de vida.

Para além de fazer justiça ao Courrier, não posso deixar de olhar para estes dois exemplos como sinais de uma sociedade que se transforma a medida que se torna cada vez mais digitalizada. Nós ainda não começamos a perceber as consequências, mas é momento de começarmos a darmos atenção.

Uma outra observação (um corolário da anterior) é a mudança do trabalho e dos trabalhadores.

Novos valores parecem estar a emergir!

Crimes isolados ou sintomas de maleitas maiores ?

Estou apreensivo! Só para citar algumas:
Fui surpreendido no Natal com as mortes de pessoas baleadas por outras que festejavam com armas de fogo!
Os crimes do Porto e outros tantos ao longo dos últimos anos que mostram uma criminalidade organizada com apontamentos de mafia.
As recentes mortes, despropositadas e completamente incompreensíveis!

É certo que desde há muito que os crimes diminuem em Portugal e que não nos vejo, nem sinto que sejámos uma sociedade violenta. Como alguém dizia ou escrevia, numa sociedade que está a ficar menos violenta, nota-se mais os crimes... talvez... mas lembrei-me do Pensamento IX (http://coisas-do-marco.blogspot.com/2008/03/pensamento-ix.html)...

Há algo que vem mudando, lentamente e lá no fundo... algo que não parece estar relacionado com nada e que, lá por detrás é uma rede complexa de ligações... há pouco tempo um estudo de uma instituição (terá sido da SEDES ?) vinha dizer, cuidado, podemos estar à beira de problemas sociais graves... vejo com apreensão os fenómenos de marginalização nas zonas metropolitanas... vejo com apreensão o crescimento do desemprego, vejo com apreensão a pobreza... a exclusão... o aumento dos cereais e dos bens relacionados... o aumento da carga fiscal... o desalinhamento da justiça em relação à vida das pessoas... a frustação das pessoas...

Não me parece que os crimes estejam a aumentar ou a sociedade Portuguesa a se tornar mais violenta... são apenas manifestações, que parecem isoladas, do tal algo... não sei explicar...

... é como se o país já não conseguisse encontrar soluções para as pessoas, ou que elas já não vêm que o país lhe consiga dar respostas...

... estaremos a deixar de sonhar ?

Diogo Salvi

Empresário | Gestor

A Visão de 6.Mar dedica a sessão de Economia * Empreendedor a ele e a sua empresa, TIM w.e. , a propósito da abertura do seu 22º escritório, desta feita na Arábia Saudita.
Vale a pena acompanhar este percurso, que pode inspirar muitos outros negócios de base digital.

KPI - Percentagem das pessoas que trabalham ou trabalharam e que foram avaliadas por sistemas de avaliação adequados

Nestas últimas semanas, tenho dado comigo a pensar que não consigo deixar de apoiar a Ministra da Educação, mesmo podendo reconhecer que os professores podem ter razão aqui e ali. Não sendo um apoiante deste Governo e não tendo outra razão para apoiar a Ministra que não seja a da minha consciência, fiquei inquieto com este pensamento recorrente que me tem deixado a reflectir.

Acho que já descortinei a razão: vivemos numa sociedade que não sabe errar, logo tem dificuldade em aprender, logo tem dificuldade em pensar, logo tem medo, muito medo!

Na escola os professores não sabem lidar com os erros das crianças: estas são castigadas por que cometem erros em vez de serem ensinadas a aprender com os erros. Aprendemos também que o professor é que está correcto e não há espaço para a reflexão, para colocar em causa a visão/ opinião do professor.

Não admira que as avaliações sejam um problema! Elas são vistas como um fim, um castigo, uma penalização. O medo passa a ser natural e o comportamento defensivo o seu principal escudo!

Nos bons sistemas de avaliações, as avaliações são o início e não o fim; servem para nos ajudar a encontrar os pontos em que somos bons, mesmo bons! e os pontos em que nem por isso. Servem para reflectirmos sobre as nossas acções, a nossa satisfação, a nossa motivação, servem para nos confrontarmos connosco próprios, tendo mais consciência do que somos.

A avaliação é o início do período seguinte, aquele período em que vamos ter hipótese de experimentar novas estratégias que resultam da aprendizagem que fizemos nos períodos anteriores.

Não deixa de ser interessante de analisar que são os professores a se oporem a um sistema de avaliação que crie oportunidades! O loop fecha-se, quando as crianças educadas neste sistema, se transformam em país e professores que educam!

Neste contexto quanto mais pessoas activas ou que já estejam reformadas tiverem sido sujeitas a sistemas de avaliação adequados, que fomentam a aprendizagem, a reflexão e não são o fim, mas o ponto de partida, maior será o desenvolvimento da respectiva comunidade.

-----------
Outros KPI focados:
KPI - Percentagem das pessoas que teve de lidar com um empreiteiro do sector da construção civil e que tem razões de queixa

KPI - Percentagem dos casais em que foi o homem (pai) que trocou a vida profissional pela vida familiar

Pensamento IX

"Meladaptation to gradually building threats to survival is so pervasive in systems studies of corporate failure that it has given rise to the parable oh the 'boiled frog' (...) Learning to see slow, gradual process requires slowing down our frenetic pace and paying attention to the subtle as well as the dramatic."

Peter Senge, The Fith Discipline (pag. 22-23)

'Boiled Frog': http://en.wikipedia.org/wiki/Boiled_frog

Sofia Carvalho

Directora da SIC Mulher

Lançou um canal diferente na televisão que tem sabido manter a qualidade.
Inteligente, usa a sua imagem para promover causas e apoiar a sociedade, como usar o "Querido mudei a casa!" para apoio a instituições sociais.

domingo, 2 de março de 2008

As minhas primeiras impressões...

O mérito de todas estas iniciativas é a de tentar colocar no centro do debate o nosso País e o seu futuro: o que verdadeiramente me interessa (o ruído das política contemporânea diz-me pouco!).

Para mim há um valor adicional, permite-me discutir, reflectir em conjunto, em vez de o fazer sozinho (é difícil encontrar interloctores para estes temas! sou eu que frequento os sítio errados :-(.

Algumas são conceitos que chamo de 'casca', i.e., não transpostam necessariamente um conteúdo; podem ser interessantes para mudar a imagem que exista de Portugal ou para assinalar determinados factos/ circunstâncias... mas o seu valor é localizado. É o caso da 'Europe's West Coast' e 'País confortável'.

Outras transportam um enunciado de potenciar os recursos naturais existentes como o mar e o sol. Já são propostas de conteúdo. Trazem consigo a criação de conhecimento através do potenciar recursos naturais. Diria que são as clássicas para os modelos clássicos de economia e produção. Têm um problema, o esgotar dos recursos (e.g. o Algarve pode ser um bom exemplo, infelizmente não o único; veremos o que vamos ter em Alqueva e na Costa Alentejana).

A do 'país de testes' tem uma diferença muito importante: fundamenta-se no capital humano; nos veículos do conhecimento e na sua capacidade para gerar novo conhecimento. Sabe a pouco, mas a direcção parece-me boa.

Daqui resulta que teremos que encontrar enunciados que tenham um conceito, que potenciem os nossos recursos (de forma a continuarem a existir!) e cujo pilar central seja a continuada criação de conhecimento a partir de todo o capital humano, cultural, social e histórico que se reúne sobre o nome Portugal.

Por último o 'novo Portugal' que querer reflectir Portugal em 7 áreas: Espaço, Recursos, Pessoas, Valores, Conhecimento, Cultura, e Organização.; reporto-me aos 3 textos conhecidos: Valores, Conhecimento e Organização. Tem uma ideia consolidada: que somos a geração da eficiência e da eficâcia, i.e., o nosso desafio. Tem o grande mérito de lançar a discussão (como este próprio post ilustra). Mas... soube-me a pouco. Fiquei com a ideia de ser o 'velho' com a roupa 'nova'; senti muito de Talcott Parsons e Katz e Kahn, Herbert Simon, Chandler... pouco de Mintzberg, Ghoshal, Bartlett, Giddens, Maturana, Guedes, Argyris, Nonaka, ...
(Ver Pensamentos, em particular o VIII).

Vamos esperar pelos próximos e pelos resultados para uma ideia mais definitiva.

--------
Na sequência de:
http://coisas-do-marco.blogspot.com/2008/03/discutindo-portugal.html
http://coisas-do-marco.blogspot.com/2008/01/novo-portugal-opes-de-uma-gerao.html

Discutindo Portugal...

Já aqui fiz referência a um novo movimento da sociedade civil intitulado "Novo Portugal" (http://coisas-do-marco.blogspot.com/2008/01/novo-portugal-opes-de-uma-gerao.html). O Expresso (Edição 1844) começou a publicar os textos que serviram de base a discussão, neste caso os primeiros 3 textos de 7 (um por cada área):
* Valores: a cidadania adormecida, Paulo Duarte Teixeira, Juiz de Direito e Coordenador do Grupo Valores
* Organizar Portugal, Eduardo Correia, Professor da IBS - ISCTE Business School e Coordenador do Grupo Organização
* Conhecimento: 2028, Gustavo Cardoso, Professor e Investigador do ISCTE e Coordenador do Grupo Conhecimento

Ao longo dos últimos meses várias tem sido as propostas para transformar Portugal... o debate está muito acesso, em parte devido ao facto de a BBDO ter conseguido que o governo de Sócrates tenha feito a campanha que o governo de Barosso não fez! Em http://ipamlae.blogspot.com/2007/12/marca-portugal.html podemos encontrar um resumo dessas ideias, resumidas pelo Sérgio Henrique Santos Director de Planeamento Estratégico da Lowe Lisboa:

-Prof. Ernâni Lopes com o seu "cluster da economia do mar" e a reinvenção do turismo português como a "Flórida dos Estados Unidos da Europa".

- Pedro Bidarra da BBDO e o conceito "Europe´s West Coast", como forma de dissociar Portugal
das conotações negativas e ideias-feitas que normalmente os "Países do Sul" têm.

- Henrique Agostinho da Consumering e a ideia de apostar num "comércio do conforto". Exportar a nossa qualidade de vida, posicionando Portugal como um "País confortável" no meio das associações imediatas que outros países despertam na nossa cabeça, como por ex: França = luxo e qualidade de vida; Escócia = robustez; Alemanha = engenharia e fiabilidade; Itália = estilo e design; Espanha = espírito de conquista, comércio e cultura; América = liberdade, iniciativa e oportunidade.

- Tomás Froes da MSTF Partners e a ideia de posicionar Portugal como um "Test Country". Dada a natureza curiosa dos portugueses e a apetência por novidades, Portugal poderia posicionar-se como uma boa base para testar novidades. Não só tecnológicas, mas também a nível de outras categorias de produtos e serviços (a McDonald's, a título de exemplo, utiliza o mercado português como balão de ensaio de alguns dos seu produtos).

Vanessa Fernandes

Desportista | Triatlo | Personalidade 2007

Aos 22 anos recebe o prémio de Personalidade do Ano de 2007 e é hoje um dos símbolos de uma geração que procura novas saídas.

Estaremos todos em Pequim apoiando e vamos continuar a apoiar independentemente de Pequim.

Site: http://www.vanessafernandes.net/

Tomás Froes

Empreendedor | Gestor | 'Criativo'

Sócio fundador da agência MSTF Partners, agência que tem trabalhado algumas das campanhas mais 'faladas' do presente (e.g. Mourinho no BPI e Gatos na PT).

Num ensaio da revista Exame com o curioso nome de "Prefiro Mudar o País do que Mudar de País"
defende a ideia de posicionar Portugal como um "Test Country".

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Pensamento VIII

"As Guedes (1999) puts it, just as the Newtonian revolution unified heaven and earth, the Maxwellian revolution unified electricity and magnetism, the Einsteinian revolution unified mass and energy, the Complexity revolution in unifying science and everyday life."

in Rodrigo Magalhães, Organizational Knowledge and Technology, EE, 2004.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Eliminação da competência territorial das conservatórias de registo predial

Não posso deixar de fazer eco desta medida do governo. É uma medida que vai no sentido certo, uma pequena medida que, estou em crer, terá um grande efeito a longo prazo; deixo algumas considerações que me fazem apludir esta ideia:

- Muda o 'shift' do debate do prestador (público vs privado) para os 'consumidores' e a sua livre escolha (mercado, independente do prestador);
- Os 'consumidores' ganham pois tem flexibilidade de serviço e podem escolher: local, forma/ estilo de atendimento, ... ou seja, premeiam caracteristicas do serviço que gostam;
-Os 'prestadores' pois passam a ter um efectivo sistema de avaliação, rigoroso, completamente ajustado a forma de servir e desta forma têm incentivos e estimulos para melhorar;
- É um grande exemplo do que a digitalização de processos consegue fazer e o valor que entrega a sociedade, sendo um estimulo para continuar a criar a fundação de execução das funções do estado sobre forma digital;
- Uma fundação digital democratiza o acesso a informação, permite melhores serviços, cria espaço para a inovação emergente do tecido social, quer de serviços, quer de conteúdo e promove uma responsabilidade distribuída de controlo de qualidade.

Uma medida no bom sentido!

Tudo sobre as novas regras do registo de imóveis
Diário Económico, 19.Fev.2008

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Pensamento VII

"Ele pensa [David Snowden] que os líderes eficazes gerem o caos da mesma forma que uma educadora no jardim-de-infância gere os seus alunos. «As educadoras experientes concedem algum grau de liberdade no início de uma sessão, depois intervêm para estabilizar os padrões desejáveis e desestabilizar os padrões indesejáveis», afirma. «E quando são muito espertas, lançam as sementes para o ar, de modo a que os padrões que pretendem possam vir a emergir com maior probabilidade.»"

in Wikinomics, Edição Portuguesa, Don Tapscott, A. D. Williams
(nota: a edição portuguesa não é muito feliz!)

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Sobre a justiça (ou a injustiça)...

Tenho para comigo que a Justiça Portuguesa, em todas as suas dimensões está doente e o principal sintoma é que os seus agentes dizem que o sistema não está bem mas que até temos bons agentes (juizes, oficiais, advogados,...) e que a culpa é da falta de atenção política, dinheiro, ...

O principal 'pecado', se me permitem a linguagem religiosa, desta Justiça é que deixou de estar alinhada com a vida dos Homems, deixando de ser justa, cega, ...

Sou um dos cidadãos que sente na pele esta injustiça (da falta de alinhamento): tenho alguns direitos que senti violados e tive que recorrer a nossa justiça!

Tendo que fazer está declaração de interesses, tenho que dizer que sou apenas um caso... veja-se os casos da tutela das meninas (que me lembre foram 3 no último ano), do desaparecimento de crianças, da casa pia, das constantes quebras do sigilo e das fugas, dos arquivamentos, das sentenças ao fim de décadas, ...

A Justiça, a par da sua irmã Segurança (interna e externa) são o terreno onde assenta a casa da Democracia, por isso os seus efeitos fazem-se sentir em todos os sectores da nossa sociedade, do nosso País.

É por está razão que defendo que a única reforma que temos mesmo que fazer é a da Justiça; uma reforma que alinhe a Justiça com a vida dos Homems. O resto acontecerá por si!

Sobre a educação...

Na 6a feira passada ouvia na Antena 1, uma Professora do Fundão falar sobre a Avaliação dos Porfessores (outra daquelas medidas que sendo pequenas, pode ter um grande, grande efeito).
A sábia intervenção desta professora pode-se resumir a: há gente que se dedica muito as escolas a ensinar, que gosta do que faz, muita gente e não conseguimos melhor o nosso sistema!
É isto mesmo! Este sistema está a queimar talento, dedicação, voluntarismo e a formar mal os novos adultos (basta observar os resultados das provas internacionais!).

Limbrei-me imediatamente de Peter Senge (The Fifth Discipline) e do seu jogo The Beer Game (O http://www.systemdynamics.org/Beer.htm) - podem ver um resumo em http://maaw.info/TheBeerGame.htm

Arquitectura, Desenho e ...
Metanoia!
('meta' + 'noia' - above or beyond + of mind - a shift of mind)

Foi há 100 anos...

Há coisa de uma semana fez 100 anos que o nosso Rei Dom Carlos foi assassinado no Terreiro do Passo.
Tenho para comigo que está é a 2ª data simbólica da nossa crise de identidade (a 1ª foi a saída da corte para o Brasil - há 200 anos - ver http://coisas-do-marco.blogspot.com/2007/12/tudo-comeou-h-200-anos.html).

Esta data voltar a marcar um período de destruição da inteligência nacional criada durante a 2ª metade do século anterior (depois de termos passado a 1ª metade a distruir). Républica, Estado Novo, Guerra do Ultramar, Emigração, 25 de Abril, Nacionalizações e Reforma Agrária, ... Para contrabalançar a 2ª vaga da industrialização do país, os retornados, os imigrantes, a União Europeia, ...

É a nossa história, para o bem e para o mal... e eu sinto-me muito bem como Português e muito bem com a minha história... mas tenho o dever de a conhecer e a interpretar para o futuro!

Crimes no Porto

Tanto barulho... e agora tanto silêncio!
Já estamos todos mais seguros ?

Nélia Dias

Advogada | Doutorada

Publicou a sua tese de mestrado em livro, "A Responsabilidade Civil do Juiz", DizLivro (http://www.dislivro.pt/livros_editores.asp?Editor_Id=1&offset=-1), onde defende uma responsabilização dos juízes pelas suas decisões - parece-me uma daquelas boas ideias para uma efectiva mudança da Justiça, aquela que sendo pequena poderá ter grandes resultados. Que falta fazem estas ideias...
Podem ver a sua entrevista ao "Radar" da Visão de 31.Jan.2008.

400 anos de Vieira, Padre António

Não sou um grande conhecedor da sua obra... para além do comentário de café pouco sabia dele até 1994, altura em que vi "Clamor" no Teatro Nacional D. Maria II, texto de Luísa Costa Gomes e encenação de Ricardo Pais. Fiquei curioso (tão curioso que comprei o texto da peça) e mais desperto (não tanto que me tivesse levado a ler os seus textos - um dia destes)... em particular para o seu trajecto e contexto histórico.

Assim, 400 anos depois do seu nascimento é justo destacar o que acho ter sido o seu mais legado: ter sido um homem inquieto e irrequieto que antecipava o futuro do Homem e dos seus direitos - um homem com muitas vontades e com muita vontade que não tinha medo de ser contra, de lutar por convicções!

Que falta nos faz hoje Homens destes!

José Luís Peixoto

Escritor | Alentejano

A ùnica desta semana (Expresso 1841) vai ao seu "íntimo".
Vários prémios... vários livros traduzidos em várias línguas... um escritor português que fala para o mundo! É sempre bom começar pelo início e "Nenhum Olhar" é um bom ponto de partida.

Bilbiografia e obra podem ser vistos em:
http://www.joseluispeixoto.net/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Lu%C3%ADs_Peixoto

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

INEM e Bombeiros vistos pelo Ricardo Araújo Pereira

http://videos.sapo.pt/Jqim3j5WTIg9lCb2lpf4

Paula Oliveira | Bernardo Moreira

Cantora | Músico | Jazz | Música Portuguesa

Dois albúns editados por uma parceria que se iniciou em 2005:
- Lisboa que adormece, 2005 (@universal)
- Fado Roubado, 2007 (@universal)

Oiçam do último albúm:

Índios da Meia-Praia (@youtube)
Estrela da Tarde (@youtube)

Paula Oliveira_Site

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Novo Ministro

Com a substituição do Ministro da Saúde, ocorreu-me o pensamento VI.
É bom reflectir sobre o tema... tenho a sensação que vamos queimando boas ideias, pessoas motivadas, ...
Importa sublinhar que não é só o Sistema de Saúde; o mesmo se pode dizer do Sistema de Educação, Sistema de Justiça, Sistema de Segurança Interna, ...

Pensamento VI

"When placed in the same system, people, however different, tend to produce similar results."

in "The Fifth Discipline", Peter Senge, Currency, 2006 Edition - 'Structure Influences Behavior', Cap. 3, pag. 42 (link para amazon)

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Sobre a saúde...

Tenho-me lembrado do pensamento V sempre que vejo notícias da saúde, o que ultimamente...
Planificador central versus o livre arbítrio das pessoas?

Uma nota para dizer que a crítica ao trabalho do Ex-Ministro da Saúde não se focou nas ideias, na reforma, em formas de melhorar ou em alternativas, mas na pessoa, utilizando técnicas básicas como demagogia e populismo. É um sinal claro que mudar não interessa a muitos sectores da sociedade e que tudo vale. Estranho ter visto a Ordem dos Médicos deste lado da barricada... ou talvez não!

Pensamento V

"Há um determinado bar que lhe agrada. Ou melhor, é um bar que agrada a muita gente. O problema reside em que, quando está superlotado, ninguém se diverte. Você tinha previsto ir ao bar na sexta-feira, mas não quer fazê-lo se ele estiver demasiado cheio. O que fazer ?
[...]
Existe, sem dúvida, uma solução fácil para este problema: inventar simplesmente uma espécie de planificador central todo-poderoso, uma espécie de super-porteiro que diga a todos os clientes quando podem entrar no bar. Todas as semanas, o planificador central emitiria a sua decisão, excluindo uns e permitindo a entrada de outros, garantindo assim que o bar estivesse sempre cheio, mas nunca a abarrotar.
[...]
Qualquer solução a ser considerada precisa respeitar o direito às preferências de cada um, o que significa que deve resultar da mistura das escolhas individuais dos potenciais frequentadores do bar.
[...]
Decorrido algum tempo e após cada cliente ter adquirido a experiência neecssária para decidir se voltaria ou não [...], a frequência semanal do grupo estabilizou em menos de 60% da lotação, apenas um pouco abaixo do que conseguiria o planificador central ideal."


in http://coisas-do-marco.blogspot.com/2008/01/livro-recomendo.html

Livro | Recomendo

A Sabedoria das Multidões
James Surowiecki
lua de papel
(link para fnac)

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Novo Portugal. Opções de uma geração.

Nasce em Março um novo movimento cívico da geração, que designei, nas pisadas de Camões, "Ínclita Geração" (ver post) - 'Novo Portugal'.
Pretende reflectir sobre Portugal em 7 áreas: Espaço, Recursos, Pessoas, Valores, Conhecimento, Cultura, e Organização.
Fazem parte Eduardo Correia, Fernando Pereira, Francisco Balsemão, Filipe Novais, Maria Carioca e Tiago Macedo.

Aqui vos saudo.

Fonte: Expresso n. 1838 de 19.Jan.2008

Pensamento IV

"[...] Esta força [da integração] faz-se sentir por dois motivos: em primeiro lugar,
porque é já consensual que a eficiência, a eficácia, a qualidade só serão
possíveis através de uma perspectiva integrada de todas as áreas da
organização; em segundo lugar, porque a implementação das tecnologias de
informação obriga a um pensamento horizontal, não-funcional e integrado. A
maior parte das organizações, contudo, continua a viver sob a égide das teorias
clássicas, onde a departamentalização e a especialização funcional eram as
regras base. Embora a integração não seja uma preocupação nova, a teoria
organizacional não conseguiu ainda introduzir nos seus manuais a fórmula para
se atingir aquele objectivo [...]"

in Magalhães, Rodrigo and Tribolet, José. Engenharia Organizacional: Das Partes ao Todo e do Todo às Partes na Dialéctica entre Pessoas e Sistemas. 2006.

sábado, 19 de janeiro de 2008

Espanha e Portugal

Com mais uma Cimeira Ibérica como pano de fundo, venho concretizar uma promessa de reflectir sobre as diferenças entre estes dois países vizinhos que têm como fado e sorte terem um destino comum, como nos faz compreender a metáfora da Jangada de Pedra, do José Saramago.

Na História mais recente, uma diferença se assume como fundamental: Espanha fez uma transisão entre a ditadura e a democraria que não fez a purga dos quadros do país, que não destruiu o tecido empresarial e a administração pública - esse foi o maior feito do Rei Juan Carlos: ter liderado uma transição que permitiu à Espanha começar um novo período unida e com todas as suas forças.

Em Portugal, pelo contrário, houve vencedores e vencidos (ainda há!). Os que tinham a experiência de gerir empresas e instituições que actuavam em vários mercados e em vários continentes (afinal erámos um império que marcava presença em 3 continentes!) foram dispensados, os instrumentos de criação de valor nacionalizados, o tecido social português, a sua inteligência e experiência foram profundamente danificados (não tivessem regressado os retornados e a coisa teria sido bem pior!). A consequência foi a de que os nossos pais tiveram que assumir o comando do país sem estarem preparados. Tiveram que ser directors, chefes, sub-directores, ministros, secretários de estado, administradores, gerentes, ... e não estavam preparados. Improvisaram. Fizeram o melhor que sabiam face às circunstâncias.

Assim se explica a instabilidade vivida em Portugal e a estabilidade em Espanha bem visível no número de governos e primeiros ministros de cada um dos lados nos últimos 30 anos. Tinhámos um caminho comum e paralelo... guerras que deixaram marcas profundas no início do século XX, ditaduras míopes por demasiado tempo, mudança de regime e a visão conjunta de pertencer a Europa...

A massa critica é que era muito diferente! Os resultados, infelizmente, também!

Fátima Lopes

Empresária Estilista

É capa de revista da Negócio e Franchising de Janeiro/ Fevereiro de 2008 onde dá uma entrevista sobre o seu percurso pessoal e os seus sonhos. Dispensa apresentações. É uma mulher talentosa, determinada e ambiciosa, que ousou sonhar. O seu sonho era o de concretizar os sonhos de outras mulheres... levou a sua arte pelo mundo (e o nome de Portugal!).
A Fátima tem hoje um pequeno império empresarial e persiste em ser diferente.

Links:
http://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A1tima_Lopes_%28estilista%29

Foi há 18 anos...

Fez está semana 18 anos que entrei para o IST. É um ponto curioso no tempo: 18 anos at (antes do Técnico) e 18 anos dt (depois do Técnico). A partir de agora só piora ;-)

Memórias
Iniciámos em Janeiro devido às greves de Professores (que impediram que as provas de acesso fossem realizadas) em resultado da reforma Roberto Carneiro. O nosso primeiro ano lectivo do Técnico foi de Janeio de 1990 a Agosto de 1990 (sem parar!) em vez do tradicional Setembro de 1989 a Julho de 1990.

domingo, 13 de janeiro de 2008

Madeira | Vanguarda | Interacção Homem-Máquina

O Expresso de 12.Jan.08 (Edição 1837) publica um interessante artigo: "Humanizar o design do software" sobre o subtitulo "Tendências".

Consiste num Mestrado em Human-Computer Interaction que resulta de uma parceria entre a Universidade da Madeira (www.uma.pt) e a Universidade de Carnegie Mellon (www.cmu.edu) * Pittsburgo * Estados Unidos.

Sigam o link http://mhci.dme.uma.pt/

Aeroporto

(não sei se novo!? talvez já seja velho!)

Os últimos 20 anos deste processo (e talvez as décadas anteriores) não me cheiram bem...
Dá a ideia que se quer fazer um aeroporto à pressa mas nada se faz. Ou seja, na verdade o que fica demostrado é que ninguém queria mesmo fazer o aeroporto.

Com a decisão (preliminar!?) de Alcochete, este objectivo fica mais uma vez conseguido. E cada anúncio alimenta a especulação e (quiça) alguns possam fazer algumas mais valias em poucos dias...

A discussão tem estado centrada em alternativas à Portela... acho que o ponto de partida deveria ser diferente... sem excluir alternativas (ou complementos) à Portela.

Neste contexto, há uma pergunta que ainda não tem resposta satisfatória:
- Quais são as verdadeiras potencialidades dos terrenos da Portela, no que à infra-estrutura aeroportuária diz respeito, e o que se pode fazer para que a Portela tenha apenas a componente de aeroporto (e.g. sem força aérea, manutenção) ?
João Soares, antigo presidente da CM-Lisboa, tem dado a cara por está alternativa.

Uma certeza existe: o método e as motivações seguidas (e.g. UE não ia gostar de uma alternativa na margem sul do Tejo!?) não são os mais recomendados para um investimento desta dimensão, com está importância para o país e que delega responsabilidades nas gerações futuras (leia-se dívidas!) - aqui, não é um partido que está em causa; é uma geração de políticos!

A origem é a mesma: uma sociedade que tem funcionado nos últimos 30 anos em 'single loop' (no sentido de Argyris) e em que as estratégias são defensivas -não há visão do país para além do mandato de cada pessoa ("eu não sei se vou estar aqui daqui a 3 anos, por isso..." é das frases que mais se houve, infelizmente, nas reuniões com as pessoas que estão a gerir o país - e nos privados não é diferente!)

Miguel Setas

Culto, inteligente, cultiva uma excelente atitude. É pai e pratica desporto.
Engenheiro em Física Tecnológica pelo IST e MBA da UNL.
Passou pelo INESC, McKinsey, Gás de Portugal, Galp, CP.
Ao presente, é administrador da EDP Comercial.

Entrevista à Meios & Publicidade:
http://www.meiosepublicidade.pt/2007/04/20/_A_EDP_pretende_ter_uma_comunica/

EXPRESSO, Edição 1809 de 30.06.2007 (http://aeiou.expresso.pt/)
"Nomes que não deve esquecer"

Ainda sobre Bali...

Vale a pena relembrar o filme do prémio Nobel da Paz, Al Gore... gostei: tem o tom de urgência que deveria ter! e as notas de esperança e da oportunidade que temos diante de nós.

É um excelente 'estado da arte' da 'crise do clima'.
Vale a pena ver, rever e divulgar.

Filme: An Inconvenient Truth (Uma Verdade Inconveniente) - http://www.imdb.com/title/tt0497116/

Site: http://www.climatecrises.net/

sábado, 5 de janeiro de 2008

Moral da Europa (ou da história)

A propósito do 'magríssimo'* acordo de Bali (mas mais vale este do que nenhum... eu sou optimista e evolucionista ;-) fiquei a reflectir sobre o papel da Europa (leia-se União Europeia) no mundo... (Balie e... também o Kosovo, Bélgica, País Basco, tratado de Lisboa e o seu anexo, relação com a China, Rússa, Israel/Palestina, America Latina, ...)

Tenho para comigo que o nosso único diferenciador são os valores. Metaforicamente falando, já estrámos na terceira idade, somos ponderados e reflectivos e, sobretudo, já vivemos muita coisa.

Vivemos ditaduras, monarquias, repúblicas, guerras, revoluções, contra-revoluções, libertinagem, liberdade, genocídios, crimes de todas as naturezas, separámos e juntámos estados, dividimos e pais e filhos, conquistámos, matámos, reflectimos, fizemos ciência, novas descobertas, fomos além mar, berço de civilização, tivemos e ainda temos terrorismo, muitos regimes frágeis, abolimos pena de morte, defendemos a vida e os direitos do Homem, ...

Ou seja, já fomos, ao longo da história, tudo de bom e de mau, que vemos ou apontámos nos outros. É essa a nossa autoridade! Não a de quem prega impoluto, mas a de quem prega com cicaterizes e feridas, muitas delas muito dolorosas. A nossa história (não tanto a explícita, mas a tácita, a sentida!)!

Sem falsos moralismos e com toda a moral da nossa História, devemos apregoar e fazer valer os nossos valores. Bali foi apenas um ténue exercício deste novo enunciado estratégico. E é por isso que foi pena o ANEXO (do tratado de Lisboa), a falta de comparência do Reino Unido na Cimeira UE/Africa. E é por isso que devemos ter relações com todos os Estados do Mundo, independente do seu regime - relações de estado, leia-se, onde o nosso posicionamento (o dos valores) deverá ser SEMPRE bem conhecido. E é por isso que devemos deixar bem claro aos nossos parceiros e/ou amigos qual o nosso posicionamento sobre as suas posições sobre o Ambiente (e as alterações climáticas), dos direitos do Homem, da democracia, como são os casos dos USA, China e Rússia. E é por isso que estamos em África e não queremos (podemos!) 'fazer negócio' com os Africanos. E é por isso...

Não é uma estratégia de curto-prazo, mas é a estratégia de afirmação da Europa como uma potência mundial de longo-prazo (a reboque desta questão terá que vir a defesa comum - é incontornável!).

Não para sermos farol de coisa alguma, tão só para a nossa sobrevivência e dos nossos valores.

-------
(*) Sobre a utilização desta polémica palavra consultar http://ciberduvidas.sapo.pt/pergunta.php?id=5198.

O Último Romântico (prodigiosa canção)

http://www.youtube.com/watch?v=iJtJVOBI6WE

Interpretação: Caetano Veloso (http://pt.wikipedia.org/wiki/Caetano_veloso)
Letra: Lulu Santos et al (http://pt.wikipedia.org/wiki/Lulu_Santos)
- http://letras.terra.com.br/lulu-santos/47141/

Nota:
Ainda sobre dicotomias (neste caso, fim delas!) o verso inicial diz tudo "Faltava abandonar a velha escola".

A reflexão da sociedade americana...

Já não ia ao cinema a algum tempo... fui ver "Peões em Jogo" ("Lions for the Lambs" - nome em estrangeiro tem muito mais força simbólica) de Robert Redford. Bom filme. 2 razões chegam:
- Pelo lado cinéfilo, um filme de conteúdo, com um excelente argumento e um grande trabalho de autores.
- Pelo conteúdo, mostrando que a sociedade americana já começou o processo colectivo de reflexão, digerindo o 11.Set, Afeganistão, Iraque, imprensa, política, erros, história, Vietname...

É um filme marcado pela dicotomia Republicano/ Liberal e pelas históricas eleições deste ano (acho que mais de metade do mundo assim desejam... vamos ver se o Americanos também) - concerteza nem tudo terá sido correcto, nem tudo errado, ... mas isso são contas de outro rosário (um dia destes falo desta mania ocidental de dividir tudo ao meio: e.g. mente/ corpo).

As contradições desta sociedade são a sua maior força, como mostra o processo profundo de reflexão... metaforicamente, estão na segunda idade, a caminho dos 'entas'*; e o primeiro capítulo das eleições já se fechou...

(*) Desenvolvi esta metáfora na minha primeira visita ao Brasil. Um dia destes volto ao tema.

Filme: http://www.imdb.com/title/tt0891527/
Eleições: http://www.msnbc.msn.com/id/21660914/ (para não ser sempre os mesmos ;-)

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Para os meus amigos economistas... (não resisti)

"We once had a group of economics graduate students model the standing ovation. Not one of them allowed the possibility of people attending the theater with acquaintances. We hope this is more a reflection of how economists are trained than of how they live."

in J.H. Miller, S. E. Page, Complex Adaptive Systems, Princeton, 2007
(http://www.amazon.com/Complex-Adaptive-Systems-Introduction-Computational/dp/0691127026)

100 USD

Segundo os mais diversos analistas é oficial: já entrámos numa nova era... a do petróleo acima dos 100 USD...

Já alguém olhou para os preços dos cereais ?
Repararam que os aumentos previstos para o pão chegam a 30% em alguns casos ?

Na Roma antiga, tudo se fazia para que não faltasse cereais... era problema pela certa!
Será que se avizinha uma nova era ?